Notícias UNIPAC

Setembro Amarelo: UNIPAC participa de campanha sobre prevenção ao suicídio

A UNIPAC Lafaiete esteve presente com os cursos de Psicologia, Pedagogia e Educação Física em uma ação que marcou a Campanha de Valorização da Vida neste mês de setembro. O evento, que aconteceu no último sábado, 14/09, faz alusão ao movimento mundial de conscientização sobre o suicídio e faz parte das atividades referentes ao Setembro Amarelo. O intuito é sensibilizar e informar a comunidade sobre a importância da prevenção ao suicídio e a promoção da saúde mental, reforçando que o diálogo configura-se como uma das principais formas de prevenção.

A UNIPAC foi uma das Instituições parceiras da Secretaria de Saúde, Setor de Saúde Mental, organizadora do evento, que contou também com a participação do Tiro de Guerra, da Polícia Militar e do Coral da APAC Masculina.
De acordo com a coordenadora do curso de Psicologia, Aline Gomes Martins, ocupar espaços da cidade é uma forma de dar visibilidade para o tema e sensibilizar a população sobre a valorização da vida. “A intervenção realizada pela faculdade em parceria com a saúde mental expressa o compromisso da educação para com a sociedade. Sensibilizar e informar foi o nosso foco. Os alunos do curso de psicologia realizaram momentos de escuta e informações sobre os serviços de saúde que existem no município, responsáveis por acolher situações de crise. Desse modo, a intervenção contribuiu, também, como espaço de acolhimento, cuidado e atenção para aqueles que buscam por ajuda”, comentou Aline.

A Diretora Acadêmica e Coordenadora do Curso de Pedagogia, Vanessa Mara Tavares, acredita que “desenvolver campanhas como estas, principalmente com a participação dos alunos, contribui para ampliar o tema junto à comunidade acadêmica, proporcionando o diálogo, o falar de maneira consciente acerca de depressão, saúde mental e suicídio, a fim de levar as pessoas à reflexão sobre o assunto. Também propicia a construção de um pensamento coletivo sobre as formas de prevenção e a formação da consciência de que é preciso estar aberto à escuta, ao acolhimento e à compreensão do outro para assim poder auxiliá-lo nos momentos de insegurança e depressão”, encerrou Vanessa.